Governo não prevê novo aporte para setor elétrico, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta segunda-feira (30) que o governo não trabalha com a necessidade de um novo aporte para as distribuidoras de energia elétrica.

“Não estamos considerando novo aporte para as distribuidoras de energia elétrica”, disse Mantega em entrevista em São Paulo. “As medidas que foram tomadas foram suficientes para reequilibrar o setor afetado por esta enorme seca que tivemos no país”, acrescentou.

Representantes do setor de energia têm afirmado que o empréstimo de R$ 11,2 bilhões, tomado pelas distribuidoras em abril, será totalmente usado até junho.

As distribuidoras tomaram em abril um empréstimo de R$ 11, 2 bilhões em operação costurada pelo governo para bancar despesas extras do uso mais intenso das termelétricas e com a compra, pelas distribuidoras, de energia no mercado à vista, onde ela está mais cara

Os empréstimos são feitos por um conjunto de bancos e intermediados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que repassa os recursos para as distribuidoras de energia elétrica. A partir do próximo ano, esses valores serão repassados às tarifas de energia, e a conta de luz dos consumidores deve subir.

Mantega destacou ainda que, com exceção do Sudeste, o nível dos reservatórios do país, está subindo. “Temos água vertendo nos reservatórios do Sul, Norte e Nordeste e o preço da energia está caindo, de modo que o setor caminha para uma regularidade”, afirmou.